Legumes

legumes consumo crescimento

aea2385e f3ce 4ef4 afe5 783e7124759e

Legumes: consumo em crescimento, o ressurgimento das proteínas vegetais

Pesquisas sobre alimentação saudável apontam que os legumes estão entre os alimentos preferidos dos italianos. Seu consumo está em crescimento, atesta ISMEA. O Instituto de serviços para o mercado agrícola alimentar prevê um aumento nas vendas na Itália em 2015: de 2% para os legumes em conserva, de 1% para os congelados e de 0,2% para os secos. Números que marcam uma inversão da tendência e um retorno do consumo de uma fonte de proteínas vegetais, econômica e sustentável, como recorda a FAO, que elegeu 2016 como o ano dos legumes.

Um bom perfil nutricional e a quantidade reduzida de calorias (50-100 Kcal por 100 gramas de produto cozido) tornam os legumes um alimento precioso na dieta. A quantidade de proteínas é relevante e se torna ainda mais preciosa se combinada com cereais (massa e feijões, arroz e lentilhas, por exemplo). Ricos em fibras, os legumes ajudam a regular a absorção de açúcares e gorduras e fornecem vitaminas (grupo B) e minerais, como ferro, cálcio e magnésio.

Igualmente importante é o papel dos legumes na agricultura. Capturam o nitrogênio da atmosfera e o fixam no solo, fertilizando-o. Não é por acaso que as técnicas agrícolas tradicionais preveem o cultivo dos legumes em rotação com outras culturas, a fim de melhorar o rendimento  sem fertilizantes químicos.

Sobre o autor

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.