Frutas

Clementine, saúde no inverno

clementina

Clementine, saúde no inverso. Que não se confunda com os mandaranci ou mandarini (outras espécies de tangerina), que são, respectivamente, maiores e mais achatados. Um breve guia a estes tesouros do Sul.

Clementine, características

A clementina é um híbrido obtido com métodos tradicionais de união da laranja amarga com a tangerina. Seu sabor é caracterizado por um equilíbro perfeito entre o doce e o azedo, com um sabor mais próximo ao da laranja.

Colhida entre novembro e março, as clementine possuem uma forma quase esférica, casca de cor laranja intenso, macia e flexível. Caracterizam-se pela ausência de sementes e pela facilidade com que podem ser descascadas e divididas em gomos.

Clementine, benefícios para a saúde

Verdadeiras aliadas da saúde, as clementine apresentam apenas 37 kcal a cada 100 gramas e uma ótima quantidade de vitaminas, além dos polifenóis, bons, entre outras coisas, para regular o metabolismo lipídico.

As vitaminas dos grupos B e C reforçam o sistema imunológico (ajudando a diminuir os sintomas de gripes e resfriados, típicos do inverno), as do grupo P favorecem a diurese, ajudando na retenção de líquidos (1).

(*) VNR, Valores nutricionais de referência (reg. UE 1169/11, All. XIII)

tab clementine 300x125

Fonte: Cra-Nut (ex Inran)

O ácido fólico torna a fruta indicada para alimentação de mulheres grávidas para prevenir o surgimento de espinha bífida no bebê. (2) Junto com o potássio — que também se apresenta nas clementine, o ácido fólico traz benefícios neurológicos: aumentam o fluxo sanguíneo do cérebro e a concentração diminuindo o declínio cognitivo. (3)

Os minerais também não faltam nos cítricos meridionais. Potássio e cálcio. Eles também possuem as preciosas fibras alimentares que nutrem o microbioma, além de contribuírem para o bom funcionamento do intestino.

A ação anti-inflamatória que destaca as clementine é atribuída à presença de dois flavonoides, hesperidina e naringenina. (4)

Renzo Pierpaolo Turco

Notas

  1. Rapisarda P., Amenta. M., Fabroni S., Rizzo V., Timpanaro N., Allegra M.& Leonardi A. – Qualità e aspetti salutistici di frutti di clementine biologici e convenzionali– 2010, Italus Hortus 17: 2 p. 178;

  1. Istituto Nazionale di Ricerca per gli Alimenti e la Nutrizione (INRAN) – Linee guida per una sana alimentazione italiana – 2003.

  2. Dukas, L., Willett, W. C., & Giovannucci, E. L. – Association between physical activity, fiber intake, and other lifestyle variables and constipation in a study of women– The American journal of gastroenterology – 2003, 98 (8), 1790-1796;

  3. Galati E. M., Monforte M.T., Kirjavainen S., et al – Biological effects of hesperidin, a citrus flavonoid– (Note I): antiinflammatory and analgesic activity. Farmaco – 1994 Nov; 40 (11): 709-12.

Sobre o autor

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.