IníciosegurançaÁguas minerais contaminadas, o teste Altroconsumo

Águas minerais contaminadas, o teste Altroconsumo

Águas minerais, investigação da AltroConsumo. Um atiçador de contaminantes - benzeno, tolueno, etilbenzeno e xileno - foi detectado em 19 garrafas de água mineral dentre as 42 analisadas em laboratório. Em 2 águas, no entanto, foram encontrados resíduos de desinfetantes, que não são permitidos em águas minerais naturais. Os dados emergentes do relatório da primeira associação de consumidores na Itália merecem mais verificações por parte das autoridades de saúde competentes.

BTEX, 19 águas minerais contaminadas na Itália

Um pôquer de contaminantes - benzeno, tolueno, etilbenzeno e xileno, agrupados na sigla BTEX - foi rastreado por análises laboratoriais em 19 das 42 águas testadas. As 4 substânciasfazem parte dos compostos orgânicos voláteis (COVs) que podem contaminar o solo e as águas subterrâneas como resultado de atividades antrópicas ou derivam de plástico das garrafas', explica AltroConsumo.

As causas da contaminação terão de ser verificados caso a caso pelas indústrias de engarrafamento e pelas autoridades sanitárias. Especialmente verificando a segurança química dos alimentos para as categorias de consumidores mais vulneráveis ​​(YOPI, Jovens, Velhos, Grávidas, Bebês). Com particular atenção à exposição de lactentes e crianças a substâncias tóxicas, considerando cada vez mais que a utilização de água mineral é frequentemente recomendada como 'ideal' para a preparação de fórmulas de substituição do leite materno (as chamadas leite de crescimento).

Os níveis de contaminação não foram tornados públicos. A seguir, as marcas encontradas contaminadas por BTEX nos testes do AltroConsumo:

A) Rótulos privados
Dolomitas de Esselunga
Conad
Eurospin Blues

B) Águas de marca 
Nestlé Vera
Évian (França)
Vitasnella
Sangêmeos
eu me recupero
São Bento
fonte guizza
Grande Guizza
eu falei
Norda
Boarium
Muita luz
Gota de Carnia
Maniva
Esmeraldina.

BTEX, riscos e proibições

Hidrocarbonetos monoaromáticos - benzeno, tolueno, etilbenzeno e xileno (BTEX) - são poluentes comuns, detectados em plumas de águas subterrâneas e outros recursos hídricos, após o descarte de efluentes industriais contaminados e eventos acidentais como derramamentos de óleo e derivados (Alberici et al., 2002, Castillo et al., 1998; Mazzeo et al., 2010; Costa et al., 2012).

Os perigos para a saúde associados à exposição a esses compostos na dieta incluem tumores, lesão hepática, sonolência e irritação de órgãos (Zhang et al., 2012; Tunsaringkarn et al., 2012). Mitra e Roy (2011) também relataram que a exposição humana aos compostos BTEX por um longo período de tempo causa irritação da pele e sensorial, efeitos adversos à saúde respiratória e irritação do sistema nervoso central. Apesar dos efeitos negativos que têm na saúde humana, a contaminação por BTEX muitas vezes permanece negligenciada e não tratada nas redes públicas de água, resultando em um aumento do risco de doenças transmitidas pela água. (1)

'Em águas minerais naturais as seguintes substâncias ou compostos derivados de atividade antrópica não devem estar presentes; a não localização de tais substâncias (...) constitui uma garantia de qualidade para a água mineral:
1. Surfactantes
2. Hidrocarbonetos de óleos minerais dissolvidos ou emulsionados
3. Benzeno
4. Hidrocarbonetos aromáticos policíclicos
5. Pesticidas
6. Bifenilos policlorados
7. Compostos organohalogênicos. ' (2)

Águas minerais com resíduos de desinfetantes

Resíduos de compostos 'que podem indicar um possível tratamento de desinfecção, não permitido por lei no caso de águas minerais naturais'foram encontrados em 2 das 42 garrafas de águas minerais analisadas, informa o Altroconsumo. Precisamente nas águas
- FIUGGI Oligominerale, da nascente Fiuggi (FR),
- SMERALDINA Oligomineral, da fonte: Monti di Deu, de Tempio Pausania (Olbia).

A presença de resíduos de desinfetantes é uma indicação de possíveis irregularidades. A legislação pertinente proíbe efectivamente a apresentação deágua mineral natural uma 'tratamentos de purificação, adição de substâncias bactericidas ou bacteriostáticas e qualquer outro tratamento suscetível de modificar o microbismo da água mineral natural'. (3)

'São consideradas águas minerais naturais águas que, provenientes de um aquífero ou reservatório subterrâneo, provêm de uma ou mais nascentes naturais ou perfuradas e que apresentam características higiénicas particulares e, eventualmente, propriedades favoráveis ​​à saúde'. (4)

Dario Dongo e Marta Strinati

Nota

(1) OM Fayemiwo, MO Daramola, K Moothi ​​​​(2017). Compostos BTEX na água - tendências futuras e direções para o tratamento de água. Water SA vol. 43 n.4 Pretória Out. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.4314/wsa.v43i4.08
(2) Portaria do Ministério da Saúde de 10 de fevereiro de 2015, Critérios de avaliação das características das águas minerais naturais, Artigo 2 (Critérios de avaliação das características químicas, físico-químicas e organolépticas das águas minerais naturais)
(3) Ver Decreto Legislativo 176/11, Implementação da Dir. 2009/54/CE, sobre a utilização e comercialização de águas minerais naturais, Artigo 8.4
(4) Idem cs, artigo 2

+ postagens

Dario Dongo, advogado e jornalista, doutor em direito alimentar internacional, fundador da WIISE (FARE - GIFT - Food Times) e da Égalité.

+ postagens

Jornalista profissional desde janeiro de 1995, trabalhou em jornais (Il Messaggero, Paese Sera, La Stampa) e periódicos (NumeroUno, Il Salvagente). Autora de pesquisas jornalísticas sobre alimentação, publicou o livro "Ler rótulos para saber o que comemos".

DEIXE UM COMENTÁRIO

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Descubra como seus dados são processados.

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes

Traduzir »