Home pageIdéiaDia Mundial da Abelha, dia mundial da abelha. Nenhuma política qualificada

Dia Mundial da Abelha, dia mundial da abelha. Nenhuma política qualificada

20 de maio é comemorado em Dia Mundial da Abelha, Dia Mundial da Abelha, as organizações internacionais estão trabalhando, mas não há uma política adequada no mundo para mitigar seu declínio.

O papel indispensável desses insetos polinizadores na preservação da vida no planeta - e as ameaças que sofrem devido às atividades antrópicas tóxicas - em uma breve revisão.

1) Dia Mundial da Abelha, o dia mundial da abelha

dia mundial da abelha (Dia Mundial da Abelha) foi instituída em 20 de dezembro de 2017 por iniciativa da Eslovênia que, após vários anos de tentativas, conseguiu convencer as Nações Unidas a atribuir um aniversário anual a esses insetos polinizadores, protagonistas na proteção do meio ambiente, da biodiversidade e da produção agrícola. (1)

FAO (Organização para a Alimentação e Agricultura), na promoção da iniciativa, já sublinhava em 2019 que:

– o declínio das populações de abelhas representa uma séria ameaça para segurança alimentar (segurança do abastecimento alimentar) e nutrição humana,

– a crescente difusão no ambiente de grandes quantidades de pesticidas representa a mais séria ameaça à sobrevivência dos insetos polinizadores,

– as mudanças climáticas, além de práticas agrícolas insustentáveis ​​(por exemplo, monoculturas intensivas), agravam a perda de biodiversidade e, portanto, de insetos polinizadores. (2)

2) Polinização e produção de alimentos, o relatório IPBES

IPBESPlataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos, já havia publicado um relatório em 2016 destacando os problemas críticos que as abelhas e os insetos polinizadores - assim como os humanos - estão enfrentando. ad memoriam, algumas passagens são lembradas:

– Insetos polinizadores, que incluem mais de 20.000 espécies de abelhas, são principalmente espécies selvagens. Moscas, borboletas, mariposas, vespas, besouros, tripes, mas também aves, morcegos e outros vertebrados. Algumas espécies de abelhas - como a abelha melífera ocidental (Apis mellifera), a abelha oriental (cerana Apis), alguns zangões, algumas abelhas sem ferrão e algumas solitárias – são extensivamente manejados,

– a contribuição dos polinizadores é essencial para a produção de alimentos, mas também medicamentos, biocombustíveis (por exemplo, canola), fibras (por exemplo, algodão, linho), materiais de construção (por exemplo, madeira) e muitos outros bens essenciais para a sociedade humana,

– a sobrevivência e a saúde das abelhas estão ameaçadas sobretudo pela utilização de pesticidas e herbicidas que devem, por isso, ser drasticamente reduzidos, recorrendo também a alternativas não tóxicas. Deles emprego maciço na agricultura convencional (ou seja, não orgânica), exagerada nas colheitas GM resistente a herbicida (quase todos) reduz drasticamente as fontes de alimento para insetos polinizadores, além de causar Colony Collapse Disorder,

– outras ameaças, além da mudança climáticavêm de patógenos (por exemplo, Varroa destructor, Larvas de Paenibacillus e Melissococcus plutônio para a peste americana e européia, respectivamente). (3)

Fig. 1 – Alguns polinizadores manejados e silvestres no mundo (IPBES, 2016)

3) União Europeia, a partir da iniciativa 'Salve as Abelhas e os Fazendeiros!' para o 'Pacto pelos Polinizadores,

'Salve as Abelhas e os Fazendeiros!, ('Vamos salvar as abelhas e os fazendeiros!') – Iniciativa de cidadania europeia destinada a obter a proibição do uso de pesticidas e herbicidas tóxicos na agricultura da UE (4) - recolheu mais de 1,2 milhões de assinaturas em apenas alguns meses, mais de 120% das necessárias para obrigar a Comissão Europeia a avaliar a oportunidade de uma proposta específica de regulamento da UE (e motivar a eventual recusa) .

Quando questionado sobre as regras no entanto, a Comissão Europeia respondeu – em violação dos seus deveres – com uma comunicação descrevendo o quadro de ação que a UE e os Estados-Membros devem adotar para limitar o declínio dos polinizadores até 2030, tendo em conta a Iniciativa 'Salve as abelhas e os agricultores' e de Estratégia de Biodiversidade da UE para 2030. (5) Sem dever, palavras ao vento. De fato, uma verdadeira piada.

4) EFSA, avaliação de risco para polinizadores de produtos agroquímicos

AESA entretanto publicou a revisão 2023 da diretriz sobre como avaliar o risco de agroquímicos em Apis mellifera e outras espécies, em áreas agrícolas. (6) O agora obsoleto reg. De fato, a EC 1107/09 prescreve que os produtos fitofarmacêuticos podem ser aprovados apenas se for demonstrado, por meio de uma avaliação de risco específica, que eles não têm efeitos inaceitáveis ​​no meio ambiente, incluindo espécies não-alvo, como as abelhas. (7)

33% de pesticidas ainda autorizados no Velho Continente, porém, não tem avaliação de risco Atualizada. Como o glifosato venenoso, como vimos. A aplicação das regras em vigor continua totalmente inadequada, e é por isso que já em 2021 será Provedor de Justiça Europeu tinha censurado a Comissão. E a proposta de regulamento da SUR (Uso Sustentável e Redução de Agrotóxicos) foi boicotado dos grandes entrada agrícola, em serviço e em conflito de interesses com os monopolistas de pesticidas e sementes (Grande Ag, Big 4).

5) Lista Vermelha da IUCN, o barômetro da vida

A organização internacional IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza) desde 1964 oferece um indicador crítico da saúde da biodiversidade, um 'barômetro da vida'. Graças ao monitoramento participativo - para o qual contribuem seus 1.400 membros, governamentais e não governamentais, e mais de 13.000 cientistas e especialistas voluntários - sobre 150.300 espécies, das quais 42.100 estão em risco de extinção.

Lista Vermelha da IUCN fornece – regional e globalmente – informações sobre a distribuição, tamanho da população de espécies individuais, habitat e ecologia, uso e/ou comércio, ameaças e ações de conservação. Com o objetivo de informar i decisores políticos sobre as ações necessárias para conservar a natureza. (8) Na Região Europeia:

– 1.965 espécies de abelhas são identificadas como nativas, com ocorrência anterior a 1.500 AC

– o Mediterrâneo (penínsulas italiana, ibérica e balcânica) representa a mais rica gama de espécies, especialmente endémicas,

– o Centro-Sul é a área mais ameaçada, com 9% das espécies em risco certo de extinção e 55-65% em possível risco de ameaça/extinção que, no entanto, não pode ser estimado por falta de dados científicos, (9)

- Na Itália, Apis mellifera e abelhas (Bombus spp.) frequentam mais de 80% da flora natural existente (herbácea, arbustiva e arbórea, alimentar e não alimentar). De um total de 151 espécies, no entanto, 21 estão ameaçadas de extinção e 13 quase ameaçadas. Os incêndios frequentes somam-se aos riscos já destacados. (10)

Fig. 2 – Apis mellifera (primeiro plano e colônia) (Nieto et al., 2014; © S. Falk, P. Neumann)

6) FAO. Chamada para proteção global de insetos polinizadores

Um estudo recente da FAO e INRAE ​​(França) destaca a necessidade de proteger não só oApis mellifera (e Sou ligustica, sou carnicaAm scutellata) – abelhas melíferas – mas também todas as outras espécies do gênero Apis. Que significa Apis cerana, florea, dorsata, laboriosa, nigrocincta, andreniformis, binghami, breviligula, koschevnikovi, nuluensis. Que também são ameaçados por pesticidas e outros fatores, mas recebem menos atenção devido à ausência de retornos econômicos (por exemplo, produção de mel). (11)

Abelhas eles tendem a ser estáveis ​​(em alguns casos até aumentando), mas os outros polinizadores – que incluem outras espécies além do gênero Apis (por exemplo, zangões, abelhas sem ferrão, abelhas pedreiro - eles estão em declínio contínuo. E sua diversidade genética também está geralmente em risco (gênero Apis até).

7) FAO, iniciativas sobre abelhas

FAO, juntamente com as Nações Unidas, presta inúmeros serviços para monitorar a saúde das abelhas e promover sua proteção. Entre estes:

- Ação Global sobre Serviços de Polinização para Agricultura Sustentável, desenvolvido a partir de Iniciativa Internacional de Polinizadores (IPI) onde a polinização é promovida como um processo fundamental para os ecossistemas naturais e agro-ecossistemas geridos pelo homem. Assim foi desenvolvido o Sistema de gerenciamento de informações de polinização (PIMS), para melhor manejo dos polinizadores, (12)

– promoção da conservação da biodiversidade (incluindo abelhas), pela Comissão de Recursos Genéticos para Alimentos e Agricultura (CGRFA), para uma agricultura e alimentação mais sustentáveis, (13)

– publicações relacionadas com abelhas e polinizadores, no que diz respeito a boas práticas apícolas, uso responsável de antibióticos (apenas quando estritamente necessário), controlo de pesticidas, controlo de doenças e muito mais. (14)

8) Itália. LIFE BEEadapt, 'Geração Mel,

BEEadapt – um projeto italiano, financiado pelo programa europeu LIFE – iniciado em setembro de 2022, com uma duração de 4 anos. Com o objetivo de estabelecer medidas efetivas de adaptação de polinizadores ao mudança climática, aumentar a conectividade ecológica e a heterogeneidade do habitat ao:

– a implementação de infraestrutura verde'polinizador orientado' dentro áreas urbanas, periurbana e rural, e

– a definição de sistemas de governo multinível para o melhor manejo dos territórios em favor dos polinizadores. (15)

'Geração do Mel' é um projeto de dois anos promovido pela Serviço de Rede Agrícola melhorar o conhecimento dos produtos da colmeia e daApis mellifera ligustica. Através da promoção do mercado nacional de mel e produtos apícolas pretende-se promover a apicultura e assim também a proteção destes insetos. (16) O projeto foi financiado pelo MASAF, através do CAP, com um orçamento total de 17 milhões para apoiar o setor. (17) Migalhas, em comparação com outros setores da pecuária, para uma espécie sem a qual não haveria agricultura, soberania alimentar e florestas (nem o próprio ministério).

9) Conclusões provisórias

Dias Mundiais não são suficientes, as abelhas são essenciais para a proteção da biodiversidade ambiental e alimentar, mas ainda são completamente desprovidas de políticas econômicas e intervenções necessárias para sua proteção.

#Salve as abelhas e os fazendeiros!

Dario Dongo and Andrea Adelmo Della Penna

Note

(1) República da Eslovênia. Dia Mundial da Abelha. https://www.gov.si/en/registries/projects/world-bee-day/

(2) FAO. O declínio das populações de abelhas representa ameaças à segurança alimentar e nutricional globais. https://www.fao.org/news/story/en/item/1194910/icode/

(3) IPBES. O relatório de avaliação sobre polinizadores, polinização e produção de alimentos – Resumo para formuladores de políticas. https://www.ipbes.net/sites/default/files/spm_deliverable_3a_pollination_20170222.pdf

(4) Dario Dongo, Guido Cortese. Vamos salvar as abelhas! As razões da iniciativa de cidadania europeia. GIFT (Grande Comércio de Comida Italiana). 15.06.19

(5) Comunicação da Comissão. Revisão da Iniciativa de Polinizadores da UE. Um novo pacto para os polinizadores. COM(2023) 25 final. https://eur-lex.europa.eu/legal-content/IT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52023DC0035

(6) EFSA (2023). Orientação revisada sobre a avaliação de risco de produtos fitofarmacêuticos em abelhas (Apis mellifera, Bombus spp. e abelhas solitárias). EFSA Journal 21 (5): 7989, https://doi.org/10.2903/j.efsa.2023.7989

(7) Regulamento (CE) 1107/2009, Anexo II, Seção 3.8.3

(8) IUCN. 2022. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN. Versão 2022-2 https://www.iucnredlist.org/

(9) Nieto et al. (2014). Lista Vermelha Europeia de Abelhas. Serviço de Publicação da União Europeia https://bit.ly/3MKt2lZ

(10) Quarenta et ai. (2010) Lista Vermelha da IUCN de abelhas italianas ameaçadas. Comitê italiano da IUCN e Ministério do Meio Ambiente e Proteção da Terra e do Mar, Roma. http://www.iucn.it/pdf/Comitato_IUCN_Lista_Rossa_delle_Api_italiane_minacciate.pdf

(11) Halvorson et al. (2021). Proteção de abelhas e outros polinizadores: um estudo global. Apidologia 52: 535-547, https://doi.org/10.1007/s13592-021-00841-1

(12) FAO. Ação Global da FAO sobre Serviços de Polinização para Agricultura Sustentável https://www.fao.org/pollination/en/

(13) FAO. Biodiversidade para a segurança alimentar e nutricional https://www.fao.org/cgrfa

(14) FAO. A importância das abelhas polinizadoras. https://www.fao.org/publications/home/news-archive/detail/the-importance-of-bee-ing-pollinators/en

(15) Vida BEEadapt https://www.lifebeeadapt.eu/

(16) Geração Mel. Mel italiano de abelhas italianas https://generazionehoney.it/

(17) MASAF. Lollobrigida: aumento de 9 para 17 milhões de recursos para o setor apícola, decreto assinado. https://www.politicheagricole.it/decreto_api Comunicado de imprensa. 5.12.22

+ postagens

Dario Dongo, advogado e jornalista, doutor em direito alimentar internacional, fundador da WIISE (FARE - GIFT - Food Times) e da Égalité.

Andrea Adelmo Della Penna
+ postagens

Graduado em Tecnologias e Biotecnologias de Alimentos, tecnólogo de alimentos qualificado, segue a área de pesquisa e desenvolvimento. Com particular atenção aos projetos de investigação europeus (no Horizonte 2020, PRIMA) onde participa a divisão FARE da WIISE Srl, uma empresa de benefícios.

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes

Traduzir »