InícioProgressoCoop promove o tomate No Cap, 'sem caporalato'

Coop promove o tomate No Cap, 'sem caporalato'

A Coop Italia promove o tomate No Cap, fruto da sustentabilidade social e ambiental. De 7 de agosto até o final do mês, a oferta de tomates éticos dobra nas lojas da gigante italiana GDO.

A par das caixas de conservas de tomate da marca Coop - que sempre foram 'caporalato free' - o tomate biológico da cadeia de abastecimento da marca 'No Cap' está agora 'hospedado', em caixas de 3 kg.

Corporal e exploração dos trabalhadores, a crise não resolvida

A exploração dos trabalhadores e dos trabalhadores é talvez a crise não resolvida mais grave na agricultura e na cadeia agroalimentar, na UE como noutros lugares:

  • na Itália, a contratação ilegal é tão difundida que também envolve algumas grandes marcas. Basta mencionar os casos recentes de Attianesa na Campânia, Spreafico SpA e Straberry na Lombardia,
  • na Espanha, nas estufas de Almeria, a exploração é igualmente grave e tolerada pelas autoridades que devem impedi-la,
  • na Alemanha, o surto de Covid no maior matadouro industrial levantou a cortina sobre abusos sistêmicos dos direitos dos trabalhadores.

Em países fora da UE renda baixa e média (PBMR, Países de renda média baixa) a violação dos direitos dos trabalhadores agrícolas é relatado durante anos por associações como a Oxfam. E só a afirmação das responsabilidades de due diligence responsabilidade dos operadores a jusante da cadeia de abastecimento poderá induzir uma mudança, a partir cadeias de suprimentos mais críticas.

Coop Italia e No Cap

Desista dos lucros na pele dos trabalhadores, por outro lado, é possível e necessário. A sinergia com a associação que protege os trabalhadores agrícolas No Cap confirma o compromisso social que a Coop Italia assumiu desde 1998, distinguindo-se como o primeiro grupo varejo ter Certificado SA 8000 (Responsabilidade Social) em todos os fornecimentos de produtos com marcas próprias.

'Sustentabilidade todos os seus aspectos é o nosso caminho. Entendemos que em tempos de dificuldades econômicas como as que vivemos, é sempre muito difícil manter um foco firme no assunto, mas é neste momento que não devemos abrir mão das questões de justiça e legalidade e acreditamos que a colaboração com a No Cap é perfeitamente associável ao nosso produto de marca. 

De 2015 o compromisso foi ampliado com o envolvimento e capacitação de todos os fornecedores de frutas e hortaliças, inclusive aqueles que não são da marca Coop, cujos produtos são distribuídos em lojas próprias, declara Maura Latini, diretora-gerente da Coop Italia.

No Cap, serviços para trabalhadores e empresas

O Sem Tampão é emitido para empresas agrícolas após verificação de:

  • recrutamento com contratos regulares. Horas de trabalho em conformidade com a legislação nacional. Cadastro do INPS. Durc. Contribuições previdenciárias,
  • segurança no trabalho, serviço de saúde adequado e acesso a primeiros socorros,
  • uso de energia renovável utilizada na produção, embalagens recicláveis ​​ou biodegradáveis,
  • capacidade de criar valor agregado em cadeias de suprimentos sustentáveis.

a associação nasceu em 2017 na esteira do movimento anticontratação animado por Yvan Sagnet (na capa), protagonista camaronês dos protestos contra a exploração dos trabalhadores, em 2011 em Nardò, província de Lecce, Puglia. Está ativo na Campânia, Basilicata, Sicília, Calábria, bem como na Puglia.

Apoio concreto para trabalhadores agrícolas e empresas

Ativismo contra a contratação ilegal se manifesta todos os dias com a oferta de serviços essenciais aos trabalhadores agrícolas, mas também consultoria às empresas para operarem em conformidade com os direitos humanos.

'Estamos convictos de que é necessário combater a contratação ilegal e a exploração laboral no setor agrícola a partir da cadeia de suprimentos dos assuntos que o compõem. Dos trabalhadores aos agricultores, da distribuição aos consumidores. 

A colaboração com a Coop Italia, uma das maiores cadeias de distribuição há anos engajada contra a exploração do trabalho na agricultura, representa um importante valor agregado no combate à contratação ilegal'explica Yvan Sagnet, presidente da No Cap.

+ postagens

Jornalista profissional desde janeiro de 1995, trabalhou em jornais (Il Messaggero, Paese Sera, La Stampa) e periódicos (NumeroUno, Il Salvagente). Autora de pesquisas jornalísticas sobre alimentação, publicou o livro "Ler rótulos para saber o que comemos".

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes

Traduzir »