HomeEtiquetasAprovado por

Aprovado por

Às vezes acontece de saber no rótulo que um determinado produto é'Aprovado por'uma associação de médicos ou nutricionistas, ou uma instituição de caridade. É o caso, por exemplo, de goma de mascar eles recebem um endosso - ou seja, uma recomendação - da associação de dentistas italianos. Que regras se aplicam?

Alegações nutricionais e de saúde, a introdução

Qualquer notícia que você sugerir, ainda que implicitamente, uma relação favorável entre o consumo de um alimento - ou de uma de suas categorias, ou de uma substância nele contida - e a saúde do consumidor (mesmo que apenas do ponto de vista nutricional) se qualifica como alegação de saúde ou nutricional.

As regras devem, portanto, ser aplicadas Europeu em Alegações nutricionais e de saúde. (1) Que, em primeiro lugar, exigem o cumprimento:

- do reivindicar nutricional, nas condições gerais estabelecidas na lista obrigatória constante do Anexo ao reg. CE 1924/06,

- do reivindicar saúde, nas condições previstas apenas para as palavras autorizadas no reg. UE 432/12 e alterações posteriores.

O regulamento do NHC exige também o cumprimento dos princípios gerais de informação, (2) que incluem uma série de proibições:

- sobre informações falsas, ambíguas e enganosas,

- sobre 'levantar dúvidas sobre a segurança e/ou adequação nutricional de outros alimentos',

- a partir de 'incentivar ou tolerar o consumo excessivo de um item',

- a partir de 'sugerem (…) que uma dieta equilibrada e variada geralmente não pode fornecer quantidades adequadas de todos os nutrientes',

- referir, com textos e imagens, 'a alterações nas funções corporais que possam despertar ou explorar medos no consumidor'. (3)

reivindicar nutrição e saúde estão também sujeitos a condições gerais, (4) que regem a relevância das notícias para a saúde e nutrição humana, relativamente às quantidades de alimentos que podem ser razoavelmente consumidos no contexto de uma alimentação equilibrada. A biodisponibilidade - quando apropriado - das substâncias de que se orgulha. Na base científica e analítica das afirmações. E à compreensibilidade da notícia, a referir-se ao consumo do produto de acordo com as indicações oferecidas.

'Aprovado por', Condições de Uso

A premissa indispensável para o uso de qualquer forma de endosso por médicos, nutricionistas ou associações voluntárias - em informações comerciais (rótulos, anúncios, sites e rede social) - é representado pelo fato de que o produto possui os requisitos e realmente traz (no rótulo, pelo menos) uma reivindicar nutricional ou saudável de acordo com as regras mencionadas no parágrafo anterior. (5)

'' Associações nacionais de profissionais das áreas de medicina, nutrição ou dietética e associações voluntárias. Na ausência de regras comunitárias específicas relativas a recomendações ou aprovações por associações nacionais de profissionais das áreas da medicina, nutrição ou dietética ou por associações voluntárias, as regras nacionais relevantes podem ser aplicadas em conformidade com as disposições do Tratado» (Reg. CE 1924/06, artigo 11).

Il Ministério da Saúde, em circular específica, (6) indicou os critérios a serem seguidos para verificar a legitimidade do endosso acima de:

A) análise da conformidade das informações prestadas com as normas vigentes sobre Alegações nutricionais e de saúde,

B) verificação dos requisitos de representatividade nacional da associação profissional emáreas da medicina, nutrição ou dietética',

C) no caso de reivindicações simples, como 'recomendado por ... ', 'recomendado por ...'ou a aplicação do logotipo da associação'será exigido, durante o controlo, a comprovação dos ensaios efectuados para comprovação do atestado '.

A presença de um reivindicar cuidados nutricionais ou de saúde em conformidade com as regras europeias é, portanto, uma condição necessária, mas não suficiente para legitimar a certificação de associações médicas ou voluntárias especializadas. Que por sua vez não pode limitar-se a 'tomar nota' da existência de uma indicação autorizada para conceder a sua endosso, geralmente como resultado de doações generosas. 

O atestado deve, pelo contrário, ser o resultado de uma avaliação específica do organismo emissor. Que deve funcionar de acordo com um código de conduta específico, nos termos do artigo 27-para do Código do Consumidor, (7) e verificar a validade real da informação no rótulo.

Os anúncios de contorno não deve de forma alguma induzir em erro ou resultar 'particularmente sugestivo'para o consumidor médio. Nestas premissas, o Ministério da Saúde reiterou a 'necessidade de aplicar a disciplina acima mencionada com o máximo rigor'.

Alguns maus exemplos são mencionados no revisão de alimentos do Antitruste. 'Aprovado pela Associação Italiana de Médicos Pediátricos', 2008, multa de 695 mil euros. 'Sociedade Italiana de Medicina GeraléSociedade Italiana de Cardiologia' por Danone danacol e Unilever ProActiv, 2009 (€ 300 e € 100 mil, respectivamente). 'Federação Italiana de Clínicos Gerais' por Olival e Rocheta, 2013 (com multas de € 100.000 ao operador, € 30.000 à FIMG), depois sancionada em 2014 pelo apoio de gastroenterologistas da AIGO e urologistas da UCL

Dário Dongo

Note

(1) Ver reg. CE 1924/06, reg. UE 432/12 e alterações subsequentes

(2) Ver reg. CE 1924/06, artigo 3

(3) As imagens do sujeito '(sobrepeso ou obeso) antes e (em forma de fio) depois' do 'tratamento' com alimentos ou suplementos pseudo-dietéticos que ainda lotam a web e a TV local são, portanto, estritamente proibidas

(4) De acordo com o artigo 5 do reg. CE 1924/06

(5) 'A referência a benefícios gerais e não específicos do nutriente ou alimento para a boa saúde ou bem-estar geral resultante do estado de saúde só é permitida se acompanhada de uma indicação específica'(EC reg. 1924/06, art. 10.3). Uma alegação de saúde, de acordo com a letra do regulamento. Ou pelo menos um reivindicar nutricionais - a que muitas vezes são atribuíveis 'requisições de saúde', na ampla interpretação

(6) Cf. Circular Min. Ps. DGSAN 21.2.2011 n. 4748

(7) Ver Decreto Legislativo 206/05, art. 27-paraCódigos de conduta

'1. As associações ou organizações empresariais e profissionais podem adotar, relativamente a uma ou mais práticas comerciais ou a um ou mais setores empresariais específicos, códigos de conduta específicos que definam o comportamento dos profissionais que se comprometam a cumprir esses códigos com a indicação do parte ou organismo responsável pelo acompanhamento da sua aplicação. 

 2. O código de conduta é redigido em italiano e inglês e é disponibilizado ao consumidor pela pessoa ou entidade responsável, inclusive eletronicamente. 

3. Na elaboração dos códigos de conduta, deve ser garantida pelo menos a protecção dos menores e salvaguardada a dignidade humana. 

4. Os códigos de conduta referidos no n.º 1 são comunicados, para adesão relativa, aos operadores dos respectivos sectores e mantidos e actualizados pelo responsável pelo código, com indicação dos aderentes. 

5. O profissional deve informar previamente os consumidores sobre a existência do código de conduta, seu conteúdo e aderência. '

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes